CIPS 2 FINAL SITE.jpg

Palestrantes & Artistas convidados

Prof. Meki Nzewi (Nigéria)

Samantha Bennett (Austrália)

Meki.jpg
AH1P4847 Sam_Bennett.jpg

Meki Nzewi é professor e pesquisador de teoria e de prática da música africana da Universidade de Port Harcourt (Nigéria) e diretor do Centro de Música Instrumental Indígena e de Práticas de Dança Africana (CIIMDA). É pesquisador, educador e performer da SADC (Comunidade de Desenvolvimento de África Austral), com base em Pretória. Sua trajetória de pesquisa abrange a criatividade das artes musicais e performances indígenas africanas, seus sistemas de conhecimento e a ciência humanizadora. A documentação contemporânea, as análises, as interpretações, os  desenvolvimentos e a continuidade criativa e teórica da herança das artes musicais africanas resultaram em livros acadêmicos, ensaios filosóficos, monografias, composições, artigos acadêmicos e obras culturais, que explicam a criatividade indígena africana, suas intenções e bases elementares, e suas viabilidades contemporâneas na educação e na prática. Nzewi escreve e produz performances artísticas e literárias, como óperas, musicais, séries televisivas, obras musicais em conjunto e/ou solo e peças teatrais - inspiradas pelos sistemas de conhecimento indígenas. Também é compositor, escritor e percussionista-mãe (African Mother Drummer).

Samantha Bennett é produtora fonográfica, guitarrista e professora de Música na Unversidade Nacional Australiana (ANU). Ela é autora de dois livros, Modern Records, Maverick Methods: Technology and Process in Popular Music Record Production 1978-2000 (Bloomsbury Academic) e Peepshow, uma edição da série 33 1/3 sobre o álbum da banda Siouxsie and The Banshees (Bloomsbury Academic). Também é co-editora do livro Critical Approaches to the Production of Music and Sound (Bloomsbury Academic) e Popular Music, Stars and Stardom (ANU Press). Publicou diversos capítulos de livro sobre tecnologias, métodos de gravação e estéticas de produção da música popular registrada fonograficamente, seus artigos acadêmicos são publicados em Popular Music, Popular Music and Society, The Journal of Popular Music Studies e IASPM@journal e seus artigos técnicos no Journal of the Audio Engineering Society. Atualmente está trabalhando com o professor associado Eliot Bates (Graduate Center, CUNY) no projeto de pesquisa focado em tecnologias de áudio Gear Cultures.

Fabiana Faleiros (Brasil)

cips_ffaleiros.jpg

Foto: Julieta Benoit

Fabiana Faleiros (1980, Pelotas, vive e trabalha em São Paulo) é artista e poeta e trabalha na intersecção entre arte e invenção de pedagogias. Doutora em Arte e Cultura Contemporânea, costuma criar instalações que funcionam como micro universos onde articula sua pesquisa teórica, música e performance. Em 2012 gravou o disco ‘Lady Incentivo: Novas formas de amar e de gravar CD’. Em 2018 participou da 10ª Berlin Biennale com o 'Mastur Bar‘, projeto iniciado em São Paulo como exposição individual na Solo Shows Gallery, que já itinerou pela Colômbia, em Medellin e Bogotá, Cuba, Kiev, Innsbruck, dentre outras. 

Em 2019 foi professora convidada da Escuela Incierta, Lugar a Dudas, Cali, Colômbia. É autora do livro O pulso que cai e as tecnologias do toque, Ikrek, São Paulo, 2016 - Prêmio Proac Livro de Artista. Atualmente coordena o grupo de estudos ‘Minha tese começa assim‘.

biarritzzz (Brasil)

Foto Leticia Barros Caracterizacao e fig

Foto: Foto Leticia Barros Caracterizacao e figurino Libra

biarritzzz (1994, Fortaleza, vive e trabalha em Recife, Brasil) é uma artista transmídia cujo foco é entender as interações entre o universo da internet, o mundo das imagens e os corpos não hegemônicos, investigando as infinitas linguagens a partir dessa intersecção e suas criptografias como ferramentas de poder. Em seu trabalho remixa cultura pop, videoarte, política de memes, estéticas de videogame e poesia com as novas mídias. Pondo em jogo a falsa questão da tecnicidade x amadorismo / ciência x magia na criação de realidades, biarritzzz, uma das primeiras artistas brasileiras expoentes em GIF arte, extrapola assim suas vivências nesse mundo de imagens epilépticas em movimento, usurpando e subvertendo meios e mídias. biarritzzz.com

Pedro Aspahan (Brasil)

Pedro_Aspahan_web.jpg

Pedro Aspahan é doutor em Comunicação Social pela UFMG, com estágio doutoral na King's College London, estudando as relações entre Cinema Moderno, Música Contemporânea e a Estética do Serialismo na obra de Straub-Huillet. Concluiu o Mestrado na UFMG com a dissertação “Entre a escuta e a visão: O lugar do espectador na obra de Robert Bresson”. No campo do cinema, atua principalmente como Diretor, Técnico de Som e Montador, especializando-se no campo do documentário (www.pandufilmes.com). Seu longa, Matéria de Composição (2013, 82'), sobre os processos de criação da composição musical contemporânea, recebeu inúmeros prêmios no Brasil e no exterior. Atualmente desenvolve pesquisa de pós-doutorado, coordenando o trabalho audiovisual junto ao Programa de Formação Transversal em Saberes Tradicionais da UFMG (www.saberestradicionais.org).